Skip to content Skip to footer

Ortodoxia

Em Ortodoxia, G.K Chesterton resgata o núcleo da fé cristã como arcabouço suficiente para dar sentido à existência humana.

Informação adicional

Autor

Dimensões

14×21

Encadernação

Brochura

Formato

Livro físico, E-book, Audiobook, Compra internacional

ISBN

978-8543302751

Número de páginas

208

Livro físicoE-bookAudiobookCompra internacional
Limpar

Descrição

O marco do pensamento cristão do século XX.

“Chesterton (1874-1936) faz neste livro uma autobiografia espiritual, em que o núcleo da crença cristã se apresenta como suficiente arcabouço para conferir sentido à existência humana.”
O Estado de São Paulo

“Um século depois de sua aparição, o livro mantém todo o seu frescor e novidade.”
Marcelo Coelho (Folha de São Paulo)

“Um verdadeiro `tour de force`, em termos de inteligência e de humor.”
Moacyr Scliar (Folha de São Paulo)

“Publicado em 1909, Ortodoxia é a melhor síntese de seu pensamento sobre a religião.”
Revista Veja

“Leiam, por amor à inteligência, Ortodoxia, que acaba de ser relançado pela editora Mundo Cristão.”
Reinaldo Azevedo

“Uma eloquente apologia do cristianismo contra as filosofias e doutrinas do início do século XX.”
O Globo

“O ensaísmo de Chesterton me atrai por sua arte argumentativa.”
Daniel Piza (O Estado de São Paulo)

Numa época em que a Europa dava os primeiros passos para tornar-se uma sociedade pós-cristã, um intelectual de grosso calibre, cansado do cinismo reinante e do fascínio despertado por novas ideias, resgata o núcleo da fé cristã como arcabouço suficiente para dar sentido à existência humana. Ao contar sua jornada espiritual, G. K. Chesterton faz saber à intelligentsia europeia da primeira metade do século XX que o socialismo, o relativismo, o materialismo e o ceticismo estavam longe de responder às questões existenciais mais profundas. E quando questionado sobre as aparentes contradições da fé cristã, Chesterton era um mestre em valer-se do paradoxo para apresentar a simplicidade do senso comum. Seu jeito despojado, seu estilo incisivo e a facilidade de rir de si mesmo tornaram célebres seus debates com intelectuais da época, como George Bernard Shaw, H.G. Wells, Bertrand Russell e Clarence Darrow.

Dono de uma pena arguta, sutil e envolvente, Gilbert Keith Chesterton deixou marcas inesquecíveis em mestres da literatura como Hemingway, Borges, García Márquez e T. S. Eliot. Como se não bastasse, seus textos influenciaram decisivamente líderes de movimentos de libertação como Michael Collins (Irlanda), Mahatma Gandhi (Índia) e Martin Luther King (Estados Unidos). Cem anos depois, Ortodoxia é um clássico da literatura que merece (e deve) ser revisitado.

 

Please wait while flipbook is loading. For more related info, FAQs and issues please refer to DearFlip WordPress Flipbook Plugin Help documentation.

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Ortodoxia”

O seu endereço de e-mail não será publicado.