Skip to content Skip to footer

“A oração que prevalece”, o clássico de Dwight L. Moody, agora em edição com selo MC!

Obra chega às livrarias a partir de setembro de 2021. Saiba mais!

A Mundo Cristão tem procurado apresentar ao público brasileiro obras de nomes fundamentais da igreja ao longo dos séculos, e Dwight Lyman Moody certamente está mais do que habilitado para merecer a qualificação de clássico da literatura cristã.

É com grande alegria que publicamos A oração que prevalece , uma das principais obras de Moody, escrita originalmente em 1884. Nela, o autor nos lembra de uma verdade basilar: “Não há como crescer em graça e no conhecimento do Senhor Jesus Cristo a não ser que conversemos com ele em oração”.

Um dos mais consagrados estudos sobre oração

A oração que prevalece oferece um dos mais consagrados estudos sobre oração já publicados. Ao longo de gerações, esse trabalho essencial de Moody tem levado pessoas a compreenderem claramente a oração como elemento vital de nossa comunhão com Deus.

Nele, Moody oferece nove elementos constitutivos da verdadeira oração, e para explicá-los lança mão da didática que o tornou conhecido internacionalmente. Tais elementos são: Adoração; Confissão; Restituição; Ação de graças; Perdão; Unidade; Fé; Petição e Submissão.

Quem foi D. L. Moody?

Dwight Lyman é considerado um dos grandes nomes da história da igreja não só dos Estados Unidos, mas de todo o mundo cristão. Moody vinha de um contexto simples. Nasceu em Northfield, no estado de Massachusetts, em 1837, de uma família de pedreiros. Adolescente, trabalhou como vendedor de sapatos numa loja de Boston, cujo proprietário, seu tio Samuel, exigia que o jovem Moody frequentasse as aulas da escola dominical.

Então, aos 18 anos de idade, mediante a influência de seu professor, Edward Kimball, Moody entregou a vida a Jesus. Começaria ali a trajetória cristã de uma das mais proeminentes figuras religiosas do século 19. Desde muito cedo, Moody dedicou-se com afinco à missão de alcançar outros — todos os outros possíveis — para a fé em Cristo.

Primeiramente como membro da Igreja Congregacional de Plymouth, em Chicago, e depois como líder na igreja que fundou em 1863, a Igreja da Rua Illinois (que teria seu

nome mudado para Igreja de Moody após a morte do evangelista), Moody atraía centenas de pessoas aos cultos, incluindo meninos de rua, andarilhos e imigrantes em situação de necessidade.

Seus métodos eram à época pouco convencionais: oferecia doces e brinquedos às crianças e aulas de inglês aos adultos. Ao mesmo tempo, sua experiência como vendedor de sapatos lhe permitia aproximar-se de empresários abastados, que contribuíam para alavancar as iniciativas evangelísticas inovadoras de Moody.

Em seus mais de quarenta anos de ministério, até sua morte em 22 de dezembro de 1899, Moody alcançou feitos impressionantes. Como presidente da Associação Cristã de Moços (YMCA, na sigla em inglês), liderou importantes projetos sociais e educacionais num país ainda em recuperação pós-Guerra Civil (1861–1865). Ao lado do cantor Ira David

Stankey, promoveu exitosas campanhas de evangelização que atingiram milhões de pessoas, nos Estados Unidos e também na Grã-Bretanha. Hoje, o renomado Instituto Bíblico Moody é resultado de seu patronato à Sociedade Evangelizadora de Chicago, iniciada em 1886. Moody é também o responsável pela fundação, em 1894, da Moody Publishers, editora de livros cristãos que ainda hoje abastece leitores em todo o planeta.

Aprofunde sua vida de oração!

Que tal saber mais sobre a prática da oração ao ler um dos mais fascinantes clássicos sobre o tema? Leia A oração que prevalece, de D.L. Moody!

“Esse importante assunto foi abordado pelos profetas e pelos apóstolos, e por todos os homens piedosos da história, no mundo inteiro. Minha intenção ao apresentar este breve volume é encorajar os filhos de Deus a buscar, em oração, “mover o Braço que move o mundo”.

D. L. Moody, 1884

A novidade já está à venda nas livrarias e principais plataformas virtuais.

Conheça também:

Clássicos da literatura cristã

O peregrino

Ortodoxia

A descida da pomba


Deixe um comentário