Skip to content Skip to footer

Como confessar verdadeiramente meus pecados?

Neil T. Anderson, autor de Quebrando Correntes, esclarece o assunto

Por Neil T. Anderson em Quebrando Correntes

Quando você se reveste de Cristo, no momento em que se salva, você se torna justificado diante de um Deus santo.

Não se trata de sua justiça, mas da justiça de Cristo (1Co 1.30; Fp 3.8-9).

Por isso, quando Satanás atira uma seta contra você, ao acusá-lo: “Você não é suficientemente bom para ser crente”, você pode responder como Paulo: “Quem intentará acusação contra os eleitos de Deus? É Deus quem os justifica” (Rm 8.33).

A justiça que você tem em Cristo é sua proteção contra as acusações de Satanás acerca de seu valor diante de um Deus santo.

Ainda que nos alegremos em nossa posição de justiça em Cristo, estamos bem conscientes de nossos atos de injustiça quando pensamos, falamos ou fazemos coisas à parte de Deus.

Somos santos que ocasionalmente pecam. Para que permaneçamos firmes em nossa justiça é preciso que compreendamos e apliquemos o princípio da confissão.

O remédio de Deus contra o pecado está especificado em 1 João 1.9 “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça”.

Confessar é algo diferente de dizer: “Sinto muito”, ou pedir desculpas. Confessar (homologeo) significa reconhecer ou concordar.

Suponha que um pai surpreenda seu filho atirando pedras em um carro. O pai diz:

— Você atirou uma pedra naquele carro, e isso é errado. Se o menino apenas responder que sente muito, terá confessado? O garoto poderá ainda acrescentar:

— Por favor, desculpe-me, papai.

Terá, porém, confessado seu erro? Não. Ele ainda não terá confessado enquanto não concordar com seu pai.

— Eu atirei uma pedra naquele carro, e isso é errado.

Quando você peca, pode sentir-se triste, mas sentir tristeza, e até mesmo contar a Deus que você está triste, de modo algum é confissão.

Você confessa seu pecado quando diz a Deus o que Deus está dizendo: “Eu dei guarida a um pensamento lascivo e isso é pecado”; “tratei meu cônjuge de modo grosseiro nesta manhã, e isso é errado”; “o que me motivou a buscar aquela posição na diretoria foi o orgulho, e o orgulho não deve fazer parte da minha vida”.

Satanás fará que a confissão seja uma coisa dificílima para você. Ele tentará convencê-lo de que é tarde demais para confessar, que Deus já apagou seu nome do livro da vida.

Trata-se de mais uma de suas inúmeras grandes mentiras. Você está em Cristo: você já foi perdoado.

Você foi feito justiça de Deus em Cristo (2Co 5.21), e o SENHOR jamais o abandonará.

Seu relacionamento com Deus e seu destino eterno jamais entram em jogo quando você peca, mas fica em jogo sua vitória diária.

Sua confissão de pecado abre caminho para a expressão frutífera da retidão em sua vida diária.

Deveríamos ser como Paulo, que disse: “Por isso também me esforço por ter sempre consciência pura diante de Deus e dos homens” (At 24.16). 

Gostou do artigo?

Ele foi escrito por Neil T. Anderson no livro Quebrando Correntes – Como vencer o maligno e encontrar liberdade em Cristo, obra de referência em estudos sobre batalha (ou guerra) espiritual. Para ler a sinopse do livro, clique aqui.Leia também:Não rasteje, voe!O que fazer quando o medo de errar atrapalha?É por isso que você não pode desistir!

Deixe um comentário